Princípios Corporativos

  • Um sonho grande e desafiador faz todo mundo remar na mesma direção;
  • O lucro é o que mais atrai os investidores, gente boa e oportunidades, mantendo a máquina rodando;
  • Foco é essencial. Não dá para ser bom em tudo. É preciso concentrar-se no essencial;
  • Tudo precisa ter um dono com responsabilidade e autoridade. O debate é bom, mas no final alguém tem que decidir;
  • Bom senso é tão bom quanto grandes conhecimentos. O simples é melhor que o complicado;
  • Transparência e fluxo de informações facilitam decisões e minimizam conflitos;
  • Escolher gente melhor que si mesmo, treiná-la, desafiá-la e mantê-la é a principal tarefa dos administradores;
  • A liderança por exemplo, pessoal, é vital, tanto nas atitudes heróicas como nos pequenos gestos do dia-a-dia;
  • Sorte é sempre resultado de suor. É preciso trabalhar muito, mas com alegria;
  • As coisas acontecem na operação e no mercado. É preciso gastar sola de sapato;
  • Ser paranóico com custos e despesas, que são as únicas variáveis sobre o nosso controle, ajuda a garantir a sobrevivência em longo prazo;
  • A insatisfação permanente, a urgência e a complacência zero garantem a vantagem competitiva duradoura;
  • A inovação que agrega valor é útil, mas copiar o que já funciona bem é normalmente mais prático;
  • A discrição corporativa e pessoal só ajuda. Aparecer só com objetivo concreto;
  • “Preferimos perder investidores a perder o dinheiro de nossos investidores”
  • Aperfeiçoamento, melhora e educação são esforços constantes e integrar nossa rotina;
  • Nome, reputação e marcas são ativos valiosíssimos que se constroem em décadas e se perdem em dias;
  • Malandragens e espertezas destroem uma empresa por dentro. A ética compensa a longo prazo.